Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

No meu Palato

No meu Palato

Valados de Melgaço | Cada um pode ser muita gente

"Agir, eis a inteligência verdadeira. Serei o que quiser. Mas tenho que querer o que for. O êxito está em ter êxito, e não em ter condições de êxito. Condições de palácio tem qualquer terra larga, mas onde estará o palácio se não o fizerem ali?" Fernando Pessoa

Vallados de MelgaçoA casta Alvarinho pode ser olhada sob dois diferentes prismas, quase antagónicos, se por um lado está entre as mais bem pagas do nosso país, por outro, ainda há quem a cheire com um certo preconceito devido à sua associação (errada) com vinhos demasiado simples, directos, frutados e para consumo imediato. Quando comecei a beber vinho com regularidade (no inicio da Universidade) adorava vinho verde, especialmente o Alvarinho. Passados uns anos ganhei um certo desinteresse pelos verdes, e nos últimos 5 anos apaixonei-me completamente pela região e pela casta. 

Vallados de Melgaço Muitos amigos enófilos consideram a Alvarinho a melhor casta branca do nosso país (só não lhes dou razão porque na minha opinião, tem de partilhar essa distinção com a Encruzado, num perfil completamente diferente). Possui uma enorme versatilidade, é muito interessante ao nível da harmonização com a comida e tem a capacidade de envelhecer graciosamente. Enquanto jovens, os Alvarinhos são aromáticos, refrescantes e caracterizam-se pelos aromas intensos de fruta (citrinos ou tropical) e flores. 

Vallados de MelgaçoSão crocantes, suculentos e transportam aromas de limão, lima, pêssego, maracujá, lichia, casca de laranja, jasmim e flor de laranjeira. Com a idade, alguns Alvarinhos tornam-se mais cheios, complexos e ricos.  Já encontrei alguns com notas de mel, petróleo, minerais e fumo. Por tudo isto, "a Alvarinho pode ser muita gente", sendo aquilo que vai ser determinado pelos métodos de cultivo das vinhas, dos tipos do solo, da proximidade, ou não, do rio, do clima e da arte e engenho dos enólogos e viticultores. 

Vallados de MelgaçoA todos estes predicados a Valados de Melgaço acrescenta conhecimento e tradição familiar, de várias gerações, na produção de uvas e vinhos de qualidade na Quinta de Golães.  Produz vinhos com personalidade, elegância e harmonia que revelam toda a magia da casta Alvarinho e do terroir de Monção e Melgaço. São também um excelente exemplo da alma camaleónica da casta Alvarinho. 

Vallados de MelgaçoO Valados de Melgaço Vinificação Natural 2016 (16 €, 89 pts.), dourado palha na cor, exibe no nariz casca de laranja desidratada, damasco, resina picante e pinho. No palato é fresco, mineral (granito partido), persistente, encorpado e bastante longo.  

 

Vallados de MelgaçoPara acompanhar um Feijão frade com lima, bacalhau confitado e gamba grelhada nada melhor que o Valados de Melgaço Alvarinho Reserva 2017 (16 €, 88 pts.). De cor amarelo-citrino é bastante completo no aroma. Desde a lima ao jasmim, passando pela lichia e pelo maracujá. Há ainda, em segundo plano, abacaxi, laranja confitada e flor de limoeiro. Na boca é fino, envolvente, preciso, elegante e de corpo cheio.

IMG_1336.JPGA maior surpresa surgiu com o espumante Valados de Melgaço Alvarinho Reserva Bruto 2016 (19 €, 91 pts.). Trajando um amarelo-citrino tem uma bolha muito delicada, emanando deliciosos aromas a relva acabada de cortar, abacaxi, maçã verde e um ligeiro brioche. Na boca é super elegante, aveludado, crocante e super fresco. 

Vallados de MelgaçoUm espumante muito fino, coerente, complexo e que cresceu na companhia de um Bolo de bolacha molhada em Alvarinho. Esta pequena história, da uva que queria ser território,  contada através de três vinhos, começada pelo que tem uma expressão mais genuína do terroir, seguida pelo mais elegante e culminada no mais exuberante, mostra que a Alvarinho pode ser o que quiser, desde que queira e a deixem ;)

 

Feijão frade com lima, bacalhau confitado e gamba grelhada

 

Bolo de bolacha molhada em Alvarinho